FESTIVAL SINSAL











Desde já agradecer ao Desconcierto, que através de um passatempo que ganhei, permitiram o meu acesso ao Festival Sinsal 12, patrocinado pela marca de cerveja galega, Estrella Galicia. Consegui ver uma das bandas caóticas e espampanantes que dei a conhecer cá no blogue ainda em Maio, os argentinos Frikstailers. Além disso nunca tinha estado nas ilhas em redor da cidade de Vigo, e muito menos num cenário tão idílico para um festival alternativo, com a lotação máxima de 400 pessoas. Toda a ideia me pareceu deliciosa e apelativa, e fiquei tão entusiasmado quando soube que tinha ganhado, era talvez o dia que precisava para animar o meu verão, depois de saber que conclui com sucesso mais uma etapa do meu percurso académico. Soube bem clicar no play no iPod enquanto ia sentado na parte superior da embarcação que levou as pessoas até à ilha. Percebi que a vida pode ser tudo aquilo que nós quisermos basta acreditarmos e lutarmos para isso. E apesar de me ter levantado cedo para apanhar comboio, pergunto-me quantas pessoas que já conduzem carro, terão conhecido alguns dos sítios mais extraordinários que eu já conheci, sem carro? Uma questão que afogo nas águas onde vários iates flutuavam em torno da ilha restrita. Passando à música propriamente dita, ia expectante em relação ao primeiro e ao último concertos, a harmonia em estado puro, de Throwing Shade e o caos em estado telúrico dos Frikstailers. A garota de Londres trouxe um set exótico perfeito, confiante, adorei vê-la a deambular pela ilha e a ir espreitar os outros concertos, uma vez que lhe coube a si abrir as hostes do festival. As perucas loucas não só colocaram balões com frases excitantes e smiles no ar, como deixaram os corpos num suor leitoso ao pôr-do-sol. Já Xenia Rubinos, radicada em Brooklyn, apresentou um vozeirão incrível, num registo musical similar ao de St. Vincent, só que mais latino e soul, uma agradável surpresa. O afro em modo hakuna matata de Jagwa Music aqueceu num ritmo alucinante os ânimos em San Simón, depois de extraídas as partículas progressivas e melosas dos espanhóis Oso Leone. Uma experiência com ou sem sal seguramente inolvidable.

SACK OF GRASS

[Óculos USADO RECICLADO| Meias KENZO| Sandálias EL CORTE INGLÊS]

Sempre me agradou a ideia de objetos embalados a vácuo. Especialmente legumes e nacos de carne. Depois o Karl aplicou essa ideia à mala mais mítica da Chanel, a 2.55 e tudo mudou. O verde e o transparente, recordam-me a água da rega automática e a relva dos estádios de futebol. Não sei se as linhas da área, arrebentarão os adeptos plasmados no ecrã. Ou se o verão não será porventura a altura ideal para caminhar descalço sobre a relva molhada. E daí os objetos apresentados se revelarem totalmente inutilizáveis durante todo o processo.

SHIFT TO SUMMER HOLIDAYS

Aqui estou eu um orgulhoso membro de uma espécie desconhecida...

Here am I a proud member of an unknown species ...

Moscardos me mordam, já estou de férias, já terei tempo para pensar em várias coisas, nomeadamente que destino dar a este espaço, silenciado e conturbado que me tem acompanhado desde há quase cinco anos. Haverá espaço num mercado saturado, na radiação ultra choque de palavras similares repetidas sobre os mesmos assuntos múltiplas vezes por várias pessoas? Ser uníssono equivale a mergulhar num destino maldito, fora da ribalta, mas mais experimental e apelativo. Pode-se ser um poeta-perdido, mas tudo muda e a ausência provisória, passe a uma presença eterna dessa lassitude solitária. No limiar da vanguarda dás pelas falências pelas tuas polivalências e encaras o destino, como uma cascata prestes a remar-te a arrumar-te para fora do que é teu, da tua zona de conforto. Enfrentas-te com o teu maior inimigo: tu próprio. Lutas e serás sempre vencido...

PALE IN PARIS







Cabelos claros, tez pálida, o espelho de uma era de esvaziamento, em que a pele é seguramente a nossa melhor vestimenta. Do verão 2015 para eles e da alta costura de inverno 2014 para elas, as tonalidades depuradas fizeram frente a uma atribulada época banalizada pela excessiva profusão de padrões e motivos ironicamente anarmónicos. O resultado é bastante eficaz pela simplicidade com que se evadem do caos, estas roupas leves sem guarnecimentos desnecessários são uma súmula quase incolor desse regresso à pureza, há muito agendado, um deleite passado presentemente lançado em busca de um futuro mais harmonizado.