4 ELEMENTS


Quase tudo pode ser arte, nos dias que correm. Permeiam-se objectos de uma vã idolatria, pingados, suspensos, em filas rastejados, ambientes embalados a vácuo, roteiros fictícios, imagens, muitas imagens. De uma desenvoltura visual, sem precedentes, vivemos numa era pautada pela fragmentação da realidade. Gotas que lembram estrelas, que lembram sombras, que lembram cometas, que lembram reflexos de uma noite de chuva, que lembram uma cena de cinema, que lembram o chapinhar das poças e ainda os pneus a deslizar no asfalto. Elementos subtis, a mesma força motriz, uma ânsia criativa, que vira e pira, ao virar da esquina, à espera de algo surpreendente numa paragem de autocarro.

HAMBURGER ERINNERUNGEN

Desta vez optei por uma abordagem diferente, escolhi apenas dispor os objetos mais impactantes que pude coletar na minha última viagem curta a Hamburgo, cidade berço do meu mestre Karl Lagerfeld, que o próprio considera ser uma das mais bonitas da Alemanha, como se podia ler numa das paredes do terminal dois do Aeroporto. Este tipo de viagens, "flashbackpacking" têm se tornado um verdadeiro vício para mim, como se fosse um ritual de captar fragmentos imediatos, experienciar locais diferentes, visitar museus super completos, e depois escapar ileso ao frio e à chuva viciada. Grande parte das cidade que tenho visitado sozinho, têm água à mistura, sejam portuárias, ou atravessadas por canais logo com várias pontes. Depois a questão arquitectónica, sim basicamente os meus percursos pautaram-se por visitar edifícios emblemáticos, alguns bem recentes, como a Elbphilharmonie que nos pisos superiores apresenta uma vista panorâmica deslumbrante de 360º da cidade e outros mais antigos mas não menos icónicos como o Chilehaus. Ou as lojas como a de Acne Studios que já tinha visitado em Berlim, e nesta de Hamburgo a funcionária uma italiana de Milão, ter elogiado as minhas calças, espantando-se quando lhe disse que eram da H&M. Independentemente da banda sonora, que até poderia ser esta, o mais importante além de conservar estas memórias, é continuar a viajar com olhar...

STRICT RED





Botas PRIMARK Calções/Camisola ZARA Meias KTZ  T-shirt NEW YORKER

Iria intitular esta publicação de "distrito vermelho" mas para escapar ileso a conotações masoquistas, optei por retirar o "di" e tornar o título um pouco mais objectivo e opaco. Verdade seja dita não obedeço a regras de styling muito estritas, tudo que adquiro, tem de fazer sentido numa espécie de gramática visual abstrata, que no meu modesto entender, faz algum sentido para mim, em determinado momento ou contexto. Um corredor futurista, membro de um exército anarquista, as possibilidades são infinitas, como as palavras, as suas sombras e as minhas roupas malditas.

!NSPIRAÇÃO:OUTUBRO


O pequeno caminho das grandes perguntas...

Cada percurso te conduz a uma eterna descoberta, de novas vertentes, de novas correntes de ar, que te atravessam de fininho, e sem dares por ela, aterras num novo destino. Outubro terá por definição esse caminho, de perguntas e respostas, nem sempre de mãos-dadas, ou à mão-de-semear, mas seguramente de olhares postos no futuro, o céu sempre como o perfeito limite. Um limiar de formas e escapes, de redundâncias místicas, de passos em volta, nas asas amarrotadas de uma folha de papel.