RULES TO PARIS FASHION WEEK


1. Testar o look num vidro espelhado.
Test the look on a mirrored glass.


2. Confiar nos teus pares.
Trust your peers.


3. Provocar casualmente um efeito espelho.
Casually provoke a mirror effect.


4. Em suma, vestir para impressionar.
Overall, dress to impress.

Calças DAVID CATALÁN Casaco/Gola ZARA Colete ALESSANDRO DELL'ACQUA Mochila EASTPACK X COURRÈGES Sapatos MAISON MARTIN MARGIELA POUR H&M

TURKISH DELIGHT

Uma toalha de banho, uma capa de almofada, vários pacotes de doces turcos, tudo isso mais alguns bilhetes de museus, não são de todo o suficiente para ilustrar por completo a experiência da minha última viagem a Istambul na Turquia. Um jantar de ano novo com uma vista panorâmica deslumbrante de 360º sobre a cidade, uma ementa digna de deleite, cinco dias surpreendentes com um pé no passado e outro a dois passos do futuro numa cidade enorme, ampla virada para o Bósforo, entre a Europa e a Ásia, com o seu quê de estratégico e ancestral, foco nevrálgico de comunidades árabes, bem como de trocas comerciais intensas. Rituais de relaxe como o famoso banho turco que também pude experimentar, controlos de segurança apertados em praticamente todos os locais públicos, música exótica ou uma dança delirante e transcendental. Tudo fabricado à mão. Obriga-me somente a erguer o polegar.

!NSPIRAÇÃO:JANEIRO


Estou aqui além, algures acima ou abaixo, no Médio Oriente, sem surpresa nenhuma mas numa cidade deveras surpreendente. Este é o primeiro dia de um novo ano, estou como que enublado pelo peso da história da antiga Constantinopla. Um mochileiro caprichado cheio de camadas de roupa, objetos, passos e rituais. Rodeado de monumentos e detalhes protegido pela circunstância de olhar tudo através do ocidente. Experiências para guardar e recordar, no ano transacto passei mais de 24 horas a voar, e não, não tenciono em dois mil e dezoito de todo abrandar.

I CONSUME ONLY


Veleidades, futilidades se não simpatizam com elas é melhor pararem por aqui. Adoro rodear-me de objetos e roupas estilosas, não que as necessite para validar a minha existência, mas porque elas de certa forma amplificam a minha forma de pensar, e contribuem para materializar as minhas ideias já de si bastante abstratas. Tornar sonhos de consumo uma realidade tem-se revelado a minha mais vã e excitante atividade. Porque já me imagino a caminhar com umas flip-flops resistentes numa ilha, ou usar um gorro que é um verdadeiro "olhem para mim, estou aqui". Eu sei isto não é muito poético, mas é um desabafo óbvio de um ordenado arruinado.