SUGANDO:GONE

Gone Tori, ou simplesmente Gone é o nickname ou a alcunha de Gonçalo Monteiro, este rapaz que parece ter sido gerado no Japão, devido às suas roupas e modos de as vestir com influências japonesas, vive em Lagos, no Algarve num país chamado Portugal.

Descobri este enigmático infante, através dum dos seus looks no Lookbook. Vi que era um português e a minha curiosidade foi tanta que logo o adicionei para discutirmos sobre moda.
Soube que estuda em artes e procura ser designer de moda, ilustrador ou até pintor. Como é um óptimo aluno e extremamente competitivo, não vai ter grandes problemas na decisão quanto á sua futura profissão.
É despreocupado, teimoso, bom amigo, e de ideias fixas, persuasivo, azarento com o cupido, mas competente em tudo em que põe o seu dedo.
Tem um blogue chamado “Look in no Direction” onde demonstra ter linhas definidas sobre si e sobre os seus gostos, ao contrário do que o título sugere; no qual revela além da sua avassaladora paixão por Lady GaGa os seus projectos de arte, entre outros vídeos e fotografias que para ele são demasiado inspiradores.
A página tem um design bastante inovador e atractivo, bem característico da sua pessoa, partilha ainda algumas fotos pessoais, desde festas a visitas de estudo.
Infelizmente ainda não o conheço pessoalmente, quiçá em 2010 possa vir a conhecer esta irreverente personagem algarvia...

1.    Como descreves o teu estilo em três palavras?
Acho que tentar arranjar três palavras para descrever o meu estilo é estar a limitá-lo, no entanto acho que ambiguidade, contemporaneidade e um toque de androginia resumem o meu estilo.

2.    Com que personagem do mundo da moda te identificas mais? Acho que, de certa forma, me identifico com Edie Sedgwick, que é, ultimamente, um ícone da moda. Não tenho medo de ser diferente e ver as pessoas a olhar para mim de lado, tal como não tenho medo de lutar pela minha liberdade, muitas vezes esquecendo-me das barreiras e levando as coisas um pouco longe de mais. Claro que preservo a minha individualidade e não vivo a minha vida com base na de ninguém.

3.    Quem sabe um dia possas vir a conhecer a Lady GaGa pessoalmente, qual seria a primeira frase que lhe sussurravas ao ouvido? Provavelmente: “I am so happy I could die!”.

4.    O que mais te fascina no mundo além da extravagante e arrojada Lady  GaGa? Eu gosto da Lady Gaga, gosto do que ela faz e da forma como não impõe limites à sua criatividade, mas os meus fascínios vão para além de uma cantora. Amo arte: tanto pintura, como escultura, moda, cinema, literatura, música… É isso que me interessa realmente, me fascina e faz feliz.

5.    Que cidade elegerias como “your fashion destination”? Paris. Londres é menos preso ao clássico, mas Paris is the ultimate fashion destination.

6.    Explica-me o facto de muitas das vezes a tua indumentária e estilo me recordarem uma personagem de anime? [Risos] na realidade, não tenho a certeza, mas deve ter a ver com o facto de muita da minha inspiração para oufits provir do quotidiano, e no quotidiano eu vejo muitos desenhos animados japoneses e acho-os brilhantes.


7.    Que blogger é que tu escolherias como a celebridade, ou o vulto máximo que mais tem influenciado a moda nos últimos tempos? Acho que os bloggers estão a ganhar terreno, mas não sei se estão a ponto de criar modas. Talvez estejam. Sei que há muita gente que se sente inspirada pelas fotos tiradas pelo Sartorialist, no entanto acho que a Tavi poderia mostrar uma coisinha ou outra às pessoas.

8.    Acreditas que a internet trouxe benefícios, não só aos compradores de moda, como também aos próprios designers na venda dos seus produtos, ou preferias um comércio mais personalizado e mais tradicional, em que se estabelecesse um contacto directo entre o designer e os compradores? Facilitar o trabalho dos designers na venda dos produtos só se justifica se facilitar os compradores de moda na compra dos próprios produtos, e se o trabalho é facilitado, então tanto melhor. No entanto, no meu caso, não muda muita coisa, não gosto de comprar coisas sem as sentir antes, por isso opto pelo tradicional, embora o contacto seja mais estabelecido entre mim e os ajudantes da loja do que propriamente o designer [risos].

9.    A música é um veículo transmissor de ideias, devaneios, histórias de amor, ou simplesmente alegria, muitas delas nos convidam a tirar o pé do chão. Que música mais te cativa actualmente? Acho que a Speechless da Lady Gaga tem qualquer coisa que me toca realmente.

10.    O que pensas acerca do Lookbook? Uma estratégia para encontrar trendsetters, ou apenas uma forma de entretenimento de futuros stylists? Não tenho a certeza, gosto do site, mas acho que é tudo muito relativo. O HYPE parece depender mais do aspecto da pessoa e da própria fotografia, do que das próprias roupas, o que distorce um pouco o propósito do site.

11.    Surge a questão óbvia, quem é a para ti a pessoa (rapaz ou rapariga) que mais te inspira com os seus looks? Porquê?Charlie W - Gosto da maneira como se veste, mas não me inspira - não gosto de retirar inspiração de outifts para criar os meus, nestas ocasiões é um pouco difícil fugir à imitação, e não gosto disso.

12.    Qual é a peça de roupa que não vais dispensar durante o próximo verão? Roupa interior! [risos] O resto é tudo sujeito a impulsos, não tenho nada pré-definido.

Sem comentários:

Enviar um comentário