MASCARADO

Podia recorrer, à aproximação do entrudo, para justificar este post, mas não, apenas pretendo revelar a minha triste e estranha obsessão por máscaras, do glamour veneziano aos fetiches obscuros.


Não sei o que me fascina, esconder-me dos outros, ser surpreendido, adoro. As festas temáticas excitam-me bastante, o Carnaval é a que mais loucura me desperta.
Imagino uma festa numa mansão abandonada, um Dj na cabine, música extremamente intensa e sensual, muitos mascarados e mascaradas, o suor humano gritando por uma batida mais forte, danças, champagne, máscaras de porcelana, vestidos avant-garde, rostos escondidos por vaidades protegidos.
No fim da noite adormecer, numa das camas gigantes, ou nas carpetes vermelhas partir a flut de champagne, beijos, sonhos, decadência, acordar chapadão e extasiado, mesmo aterrorizado com a desorganização, mas satisfeito com toda a noite de emoção...

Sem comentários:

Enviar um comentário