REVIEW:LA DOLCE VITA

Creio que não haverá paisagem mais enfastiante de se percorrer, do que a das “autopistas” espanholas, onde nada mais se cruza no nosso campo de visão, a não ser, secos campos, secas planícies, com uma árvore, aqui, ali e acolá, uma etapa doentia e longa da viagem.
Olheiras acumuladas, um pneu furado, uma dormida num Hotel F1, e um tempo encoberto a modos que irado.
Mas os campos cultivados e as vilas tipicamente francesas, adornaram a paisagem até à entrada em Itália.
Foi ridiculamente absurda, a quantidade de quilómetros percorridos entre montanhas abruptas, por meio de mais de uma centena de túneis.
Génova, Pisa e Florença, levaram-me a refutar a ideia “pré-concebida” de que os italianos não são um povo amistoso, muito pelo contrário, todos com quem eu me cruzei pareceram ser atenciosos e simpáticos.
Florença é uma daquelas cidades inesquecíveis que certamente deverá constar numa lista das cidades a se visitar antes de morrer, transpira arte, em cada esquina, em cada via por onde se passe…
O ponto alto, foi quando uma rapariga oriental me abriu a porta da Salvatore Ferragamo em Florença e me convidou a entrar, tendo eu tido uma cataplana de sensações momentâneas, com aquelas visões da loja, até que resolvi descer uma escadaria que me levaria até ao Museo Ferragamo (aqui tive que adquirir o bilhete para a exposição, mas não me arrependo niente!), onde pude apreciar enumeras criações de calçado do mestre Ferragamo.
Retiro o que disse em relação a Florença, e emprego-o com ainda mais intensidade à estonteante, romântica e nostálgica cidade de Veneza.
Nela tudo flutua, todos atravessam as suas pontes, e descobrem monumentos épicos, igrejas colossais, galerias de arte abismais, em cada canto labiríntico da cidade dos gondoleiros. Amplamente turística, fascinou-me sobretudo pela majestosa arquitectura e pelo romantismo exacerbado das suas múltiplas ruelas estreitas mas largas o suficiente para embarcar e embalar num romance extasiante.
Os clichés, do costume, aprimoraram al gusto, a viagem e em geral, a minha primeira intrusão em território italiano.(Cúmulo foi tentar achar em Florença a American Apparel, chegar a ela, e estar fechada para inventário do Stock!)
Prestes a chegar ao fim, já me sinto a transbordar pieno di cosi belle.
Parece que o melhor fica sempre para o fim, a nossa passagem fugaz em Milão no regresso, (note-se que calhou num feriado) permitiu-me conhecer a praça principal da capital da moda italiana, que estava repleta de turistas, como já seria de esperar, muitos deles orientais; e ainda assim, conseguimos ver uma exposição gratuita no Palazzo Reale, deliciosa, do fotógrafo Bob Krieger, onde constavam portraits de personalidades italianas ilustres, bem como ícones da moda italiana e global, e até uma sala cortesy by Prada, onde constavam imensas imagens de moda, nomeadamente da primeira colecção masculina do Gianni Versace.
É caso para dizer que o meu derradeiro fashion shower em Itália (apesar das lojas estarem fermatas) foi um Must!

6 comentários:

  1. Não precisava de ter lido o post, para perceber que tinhas gostado da viagem. Como é que não se consegue gostar desses sítios maravilhos?!

    lol @ a parte da colecção Versace.

    ResponderEliminar
  2. Artur: Sim, vi-me forçado a ficar sem saber do que gostei mais...Quanto a colecção quando conseguir aceder as fotografias do telemóvel, que estão num cartão micro-sd imbutido nos confins do portátil, poderei ilustrar-te a ideia da exposição. Até tirei uma fotografia entre um portrait da Franca Sozzani e outro ao lado da Miuccia Prada!;)

    ResponderEliminar
  3. Descobri agora o teu blog e adorei tudo!
    Estou fã :D
    Já agora, que belas fotos que nos mostraste da tua viagem, e sempre fashion! beijinho*

    ResponderEliminar
  4. Estou apaixonada por este post, absolutamente. O teu melhor diria! woooow Itália <33


    Beijo*
    www.ivaniadiamond.com

    Ah! Não imaginava que tinhas ido de carro :0

    ResponderEliminar
  5. Great post ! Very pleasant to read!

    ResponderEliminar