PLAST!CMAG #12


Fim à vista…
Extenso culminar propenso a discórdia dos mais eruditos plebeus, de leituras alheias necessitados, proclamando e atiçando o mau-olhado, contra as bruxarias editoriais, dum sugador mor que pereceu de amor.
Sucumbiu uma parte crucial, oriunda dum devaneio visceral, veio e vai-se, num ano transato de múltiplas edições, repletas de soberbos editoriais, ódios, dissabores tais, encenados, festivais, e moda, essa estranha que tanto me incomoda.
Me acomoda agora pôr termo, a esta publicação, porque o tempo disperso, nela, não surtiu, o efeito desejado e não requer mais novidades, a não ser o simulacro sucessivo das repetitivas vaidades.
Aviso que quando algo acaba, algo novo está prestes a dar um grito…
*Para gritarem ao som de PAD cliquem aqui!*

3 comentários:

  1. Gostei bastante do editorial: fantasma no cemitério! Mal posso esperar para produzir o nosso editorial! A MAG esta magnifica! O conceito, as fotografias, a forma como passas a mensagem e principalmente a tua escrita! Adoro a tua forma de escrever, a exaltação que tens na forma de escrever! A representação do teu eu nas palavras, acho fascinante! PERFECT WORK!
    Quero escutar o grito desde aqui da Bolívia! Abraço!

    ResponderEliminar