ENTRE A ILHA E O ROUPEIRO

Estranha plataforma criativa que vou cimentando dia após dia, numa busca incessante, pela novidade, pelo arrojo, pela inspiração, pelas fissuras de realidades poéticas apoteóticas. Porque razão, um vestido de 2010 de Issey Miyake aparece junto a uma palmeira, ambos sobrepostos a uma fotografia capturada por mim, numa dessas pantanosas tardes outrora naufragadas? Tudo me fez vislumbrar o cenário da eterna solidão; Eu na minha ilha (onírica), no meu roupeiro panfletário dando asas à imaginação...

1 comentário: