DÉFILÉS VIDÉOS







Duma maneira geral, é mais fácil aceder a um desfile em Paris, do que em Milão. Em termos de organização, é tudo mais rápido, logo funciona melhor, os atrasos não são assim tão colossais, e as ruas tornam-se autênticos desfiles ao ar livre, já para não falar das exposições, feiras de moda, entre outros eventos que decorrem em simultâneo, durante as semanas da moda. Fruto de alguma exaustão, e de muitos e-mails enviados, lá consegui, apenas dois convites, para dois desfiles, e os restantes, tive sorte, e consegui entrar, ou porque deixei-me esperar e aguardar na fila, ou porque a senhora que trata das entradas, ficou encantada com o meu gorro neon da Lacoste, e queria muito roubá-lo, daí a pedir um cartão de visita (do blogue) a sentar-me na primeira fila do desfile de Rhynshu, foi um ápice, que nem eu próprio soube explicar. Convém ter paciência, e chegar em cima da hora, bem como ter o look, não demasiado chamativo, nem tão pouco invisível, apenas na medida certa, e voilá, tudo acaba por acontecer. Por isso, se alguém se quer lançar à maluca, numa aventura destas, comece por Paris, e de preferência, no Verão, pois torna-se mais fácil, saber o que vestir, e destacar-se dos milhões de turistas que se passeiam pelas ruas da capital francesa nessa altura. Em termos de desfiles, tudo se torna mais concetual em Paris, e para um ser como eu, ver um desfile com objetos a planar, não é propriamente uma cena, que se veja, ao vivo todos os dias, e por isso mesmo, assinalei como um dos meus preferidos. Já no que toca a coleções, não houve uma que me suscitasse especial admiração, mas gostei dos padrões de Galliano, e da estética punk chic adotada por alguns dos designers orientais.

Sem comentários:

Enviar um comentário