CALENDÁRIOS

E o tempo que até poderia ser um inimigo da perfeição acelerou, parece que foi ontem que senti um tremendo calor, e andei esbaforido com uns sapatos Fly London em busca do templo perdido, ou melhor, do desfile da Prada, que sendo o ex libris da estação, tem uma pacata e estranha localização. Passados seis meses os termómetros desceram abruptamente, e vi nevar pela primeira vez, num calafrio congelante, assisti a alguns dos mais intrigantes desfiles da semana da moda masculina de Paris, e se em Milão o street style e os fugazes cruzamentos com vedetas foram deveras alucinantes, em Paris foram as entradas absurdas, e o sentar-me na primeira fila (por causa de um gorro neon), o que mais me deixou estupefacto. Mas agora, fala-se de novo em Verão, 2014, o futuro portanto, e não vou lá estar não, mas não vou perder pitada por certo, das cidades, que quer queiramos, quer não, trazem consigo, os ditames do que se vai desejar usar, já a seguir, em primeira mão...

Sem comentários:

Enviar um comentário