CONCEPTUAL CLOTHING

Já demonstrei por várias vezes, aqui e noutros contextos e espaços, que não tenho qualquer receio de me exprimir numa vertente mais conceptual e experimental, não o faço por obrigação, nem para parecer mais fixe que aquilo que realmente sou. Faço-o por pura anestesia inconformista ao sistema, e por sintonia com a minha maneira de escrever, de pensar, e em suma de ser. Quando vi este fato numa loja de chineses achei super engraçado, e algo que associei a um jumpsuit, mas com um travo mais laboral, que implica um contacto com tintas, e materiais corrosivos. A t-shirt também foi um pequeno experimento com tintas, que adveio em certa medida dessa súbita inspiração dispersa derivada do fato de macaco. Juntar as duas coisas, ocorreu-me numa fase de incrustação conceptual levada ao extremo, quando soube que já era tempo de vestir essa peça, só porque me apetecia, e o meu armário estar repleto e super congestionado com trapos por todo lado, e o fato estar pendurado no charriot, portanto «muito à mão de semear».

Sem comentários:

Enviar um comentário