SAUDADE(NIET)

Aterrei num dos aeroportos mais movimentados da Europa. Andei em seis comboios, vários trams e alguns autocarros, num período de pouco mais de quarenta e oito horas. Mas não, não andei de bicicleta. Perdi-me numa cidade repleta de museus, drogas, sexo e depravação avulsos, entre corredores de donuts doces, recheados de creme, e montras com manequins verdadeiras despidas, de preconceitos. Subi a um terraço panorâmico no MAS. Entrei na loja de Dries Van Noten na sua cidade natal em Antuérpia, e comprei algo. Das red lights só trouxe, uns óculos com as lentes vermelhas, adolescentes espanholas aos berros, desejos reprimidos, arquitectura fora de série, verde e verde até que fura, o betão e aterra mais um avião...

Entretanto um suco aquoso de laranja ao pequeno almoço, a estranha localização próxima, da loja do Karl Lagerfeld, e o porta chaves de €49 que me fez bocejar. A conta, a escolta, a caipirinha, as lojas orientais, a chica do restaurante argentino, os moldes das bonecas insufláveis num livro à venda na livraria do Museu Stedelijk, os canais "en tour" entediados, e as festas nos barcos privados...O livro que me acompanhou nas horas de espera no Aeroporto, enquanto a porta de embarque não abria, tudo eu lia bem abotoado por essa Fantastic Man, que aparentemente nasceu em Amesterdão...

Não sei se lhe chamaria perdição, é um local que não me deixou grande saudade, a minha rota está traçada, surgindo a oportunidade, o oriente (de certo) que não me escapa.

1 comentário:

  1. Foste com muitas expectativas, talvez seja por isso! :/
    Montras com verdadeiros manequins despidos?

    Baah! Quero ver te com esses red sunnies <33
    kiss*

    ResponderEliminar