D'BANDADA




Assim fui ao Porto não com o intuito primordial de ir ao evento de música espalhado por toda a cidade, mas para uma visita ao showroom improvisado da Mafalda Fonseca, apenas a rapariga que concebeu uma das mais incríveis coleções masculinas apresentadas na última edição do Portugal Fashion, mas isso será matéria para um outro post. Neste ilustrarei o que foi um fim de tarde bem passado na Invicta, musicalmente enriquecido, ao entardecer, e mais tarde numa boutique de jóias de fabrico artesanal, com um rapaz com a cara recortada por uma máscara de Veneza a fabricar música com instrumentos pouco convencionais, que nos levavam a viajar sobre as nuvens até paragens ancestrais nos confins da nossa mente. Dharum é o nome do projeto de música chill-out propícia ao relaxamento que este discípulo quase divino produz, e advém do sânscrito querendo signficar “aquilo que permanece fiel à sua própria Natureza”. Natureza essa que se enquadrava perfeitamente no espaço intimista de uma loja chamada "As 3 Jóias" que continha expositores serpenteando tal e qual como a música que se sentia, e atiçava a curiosidade das pessoas que lá fora passavam e paralizavam em frente à montra onde tudo tão naturalmente acontecia, lapidando os efeitos electrónicos pré gravados esculpindo-os com os instrumentos ao vivo manobrados. A vantagem deste Optimus festival além do facto mais óbvio dos concertos serem gratuitos, é a ideia de partir à descoberta de novas sonoridades, desconhecidas e diferentes do usual, e estar num cenário estonteante muito afastado dos espaços de concertos banais. Experienciar o pôr-do-sol, ver exposições no edifício Axa, e vaguear pela cidade fizeram acrescer a paixão intensa que deposito na Invicta.

(Fotografias capturadas por mim, sem filtros)

Sem comentários:

Enviar um comentário