PAINTS




Esferas quadradas, as somas das mesmas circunferências recortadas, os triângulos dos hipsters, e tudo muito ténue e suave, formas justapostas, transparências generosas, tudo num colapsar imagético drenado de focos do passado. O metálico ruborizado, as sombras enganosas, os materiais desfiados, voltam a ser alinhavados. Os dilúvios da moda, que tem vindo a ser apresentada, e até poderia ser nesse outro hemisfério consumista amplamente explorada. Mas para mim, funcionará apenas como um código morse, reflexo profético desses desenhos no Paint, concebidos há alguns dias atrás, num ritual de estagnação imprópria da criatividade que flui mais facilmente através das palavras,                                                  ...expressões iniciais contêm links...

Sem comentários:

Enviar um comentário