!NSPIRAÇÃO:MAIO

Andamos em voltas rectas / Na mesma esfera / Onde ao menos nos vemos / Porque o fumo passou /

A dimensão poética e conceptual deste blogue alcançou proporções exageradas e ainda assim inversamente tímidas. Toscas, pausadas e sublevadas nas minhas drásticas e concisas alterações de humor, nas minhas prescrições invariáveis de músicas e roupas de marcas que ninguém conhece, saturação egoísta, que deixa um final em suspenso (mas à vista), e pede um intervalo, entre os laços de inspiração que se apertam e outros que se desatam. Isto para dizer que nesta etapa, vou lançar-me em investigações mais complexas, quer a nível visual, quer a nível poético, e em paralelo desenvolver, uma sincronia tendencialmente imperfeita, com o modo como as roupas podem ser usadas para exprimir essas mutações, e não apenas cair dentro delas, como um fosso magnético de tendências importadas. Não relegarei aspectos específicos de universos comunicantes, o enfoque será precisamente estabelecer esses nexos arriscados, entre uma curta-metragem que assisti ontem e a exposição que terei visto na semana passada. Assim decidi apagar certos detalhes aberrantes da página principal, e centrar-me-ei na funcionalidade imediata das hiperligações, e do corpo textual, sem qualquer poluição sonora ou distracção visual.


Tens fios de mais/ A prender-te as cordas/                                                                            Eu apenas acabo de as soltar.

Sem comentários:

Enviar um comentário