!NSPIRAÇÃO:NOVEMBRO

Numa bolha giratória em redor do mundo. Onde ir para nada sentir. Ser uma pena que salta da almofada para o ar vazio e ressequido de um quarto. Entrar em exposições sair em deambulações. Atritos desérticos numa ode esférica silenciada. Não ter tempo para festas, celebrar a voar. Como numa dança que descola em torta aterragem. Os tubos de ensaio desenrolam até ao último capítulo do livro não lido. Publicado a 1 do 11 às 11.

Sem comentários:

Enviar um comentário