LIFE HACKING


Sempre soube que a realidade era dura. E que fui vivendo e ainda vivo numa fantasia encapsulada de clichés e errâncias virtuosas. Onde as roupas são mais do que marcas de identidade, são toda uma progrmática incarnação de variadíssimas personagens. Nelas projeto o que sou, o que gosto, o que não gosto, o que me estimula ou repulsa. Nestes últimos meses (de pausa) tenho usado uma multitude de outfits que partem das mais diversas inspirações. Do vintage ao futurista estou sempre em rota de colisão com as tendências atuais e vou oscilando inadevertidamente entre esse dois estilos. O que tenho vindo a notar é que cada vez me foco mais no conforto e não tanto no impacto das peças.

Sem comentários: